sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015

Eu preciso aprender tanta coisa ainda nessa vida, não parece que eu tenho mesma idade mental que a física, não penso como uma pessoa de 22 prestes a fazer 23 anos... Não no geral, mas na parte de relacionamentos, nunca sei por onde começar e aonde colocar um ponto final, talvez seja por isso que eu me entristeço tanto. 
Demonstro muito não precisar de ninguém para viver bem, falo tanto isso pra minhas amigas quando elas estão tristes e decepcionadas. Mas no fundo eu também sinto falta de ter alguém por perto, mesmo que dê trabalho e dor de cabeça, não importa, mas parece que eu nunca vou encontrar, nos tempos de hoje os rapazes não tem interesse nenhum em um relacionamento saudável, fiel e verdadeiro, posso até estar exigindo demais, mas como em um texto que li eu quero alguém que seja tão bom quanto meu pai foi para mim, que no ônibus me dava o lugar que não tinha sol, que me fazia sorrir quando eu estava triste, que me amava incondicionalmente. Sei que para encontrar alguém assim eu vou precisar de muito tempo, vou precisar mudar muito esse meu jeito...
É que as vezes faz tanta falta que acabo colocando esperanças em pessoas que não ligam para mim, e assim acabo sofrendo. Eu nunca aprendo a agir, sentir e pensar diferente, não esperar tanto de alguém quando na verdade não há nada para ser esperado nem desesperado. 
Falta muito amadurecimento nesse ponto, e aprendi a fingir que não sinto nada, pelo menos não demonstrar, e agir como se fosse a pessoa mais coração de pedra do mundo, e é assim que vivo esses dias, dentro de uma casca.